sábado, 30 de outubro de 2010

Quão masoquista uma pessoa pode ser? Quanta dor, por quanto tempo ela é capaz de procurar, e suportar dor?
Dúvidas, dúvidas. E eu penso, novamente, nada que um pouco de sangue não resolva. Impossível não acreditar que exista um pouco de inferno dentro do céu. Impossível não sentir cada marca, cada maldita lembrança.
Tão difícil resistir a esse pequeno sacrifício... Quantos erros divertidos, sedutores, excitantes.
Tão... doloroso.
É hora de recuar? Hora de seguir em frente, como uma bela covarde, e deixar o passado inacabado para trás?
É hora de fingir?
Sentimentalismo estúpido. Um dia, não sentirei absolutamente mais nada.
...

2 comentários:

  1. adorei a violência de suas palavras,escreva mais. obrigado

    ResponderExcluir
  2. A minha Jhê
    muitoooooo FODAAAA esse
    amei pô.
    saudades

    ResponderExcluir